Vinho Vegano

Na teoria é fácil acreditarmos que o vinho, por ser uma bebida vinda de uma
fruta, a uva, está livre de qualquer substância de origem animal, mas é aí que
muita gente se engana. Nesse post vamos te explicar melhor sobre o processo
de produção dos vinhos, e quais as nossas sugestões para apreciar a bebida livre
de qualquer culpa.


Processo produtivo e clarificação
O vinho é produzido através da fermentação da uva, mas em algumas de suas
etapas de produção passa por etapas de clarificação, que incluem uso de
produtos de origem animal como: caseína (proteína do leite), albumina (proteína
do ovo), clara de ovo, gelatina animal e isinglass (cola de peixe).


É nessa etapa que os produtores retiram os resíduos sólidos que se formaram
durante o processo para torná-los mais límpidos. Essas substâncias de origem
animal atuam como um ímã, atraindo as impurezas em suspensão para que
precipitem no fundo do tanque.


O vinho vegano
Para um vinho ser considerado vegano ele precisa pular essa etapa de
clarificação, ou é necessário utilizar substâncias de origem vegetal ou mineral
para o processo.


Para identificar se um vinho é vegano fique atento a alguns detalhes como:
● Fique de olho nos rótulos, algumas marcas identificam seus vinhos com o
selo de vegno;
● Leia as informações de ingredientes e tente descobrir como foi o processo
de produção, se houve filtragem ou não. Rótulos que apresentam
expressões como “não filtrado”, “unfiltered” ou “métodos de auto
clarificação natural” indicam que o vinho não foi filtrado. Possivelmente
também não passou pela clarificação e não teve contato com ingredientes
de origem animal.
● Ainda na dúvida, tente procurar por vinhos judeus. Os que contém o selo
Kosher são adequados para o consumo de veganos, pois as regras do
judaísmo proíbem a utilização de substâncias de origem animal. Vale
lembrar que para eles, a clara de ovo é aceita, então alguns produtores
podem utilizá-la na clarificação.
Para facilitar esse trabalho, fomos atrás de algumas (e boas) opções de vinhos
veganos. Anota aí:

Sugestões nacionais:
Vinho Miolo Reserva Chardonnay – Safra 2017
Elaborado com uvas Chardonnay cultivadas em vinhedos próprios localizados na
região da Campanha Gaúcha. Este vinho teve uma breve passagem por carvalho
francês, a cor apresenta-se esverdeada com reflexos palha, o aroma é intenso,
complexo e o paladar é harmonioso e untuoso.
Vinho Miolo Cuvée Giuseppe Merlot – Safra 2017
Vinho tinto de guarda, resultante do corte das uvas Merlot e Cabernet Sauvignon
selecionadas nos melhores vinhedos de uma vinícola 100% nacional. Vale
destacar que todos os vinhos da Miolo são isentos de cola de origem animal.
Casa Valduga
Todos os vinhos produzidos pela marca são livres de qualquer substância de
origem animal.
Sugestões importadas:
Casillero Del Diablo Reserva Carmenere – Safra 2017
Um excelente exemplar Chileno, é um vinho bem suave ao paladar, com aromas
de frutas maduras e sutis notas de café torrado.
Vinho Espanhol Toro Loco Vendimia Seleccionada D.O.P. Utiel-Requena
2018
Vinho Chileno Pérez Cruz Rosé Lingal 2019
Vinho Espanhol Barahonda Barrica Monastrell Syrah 2015

Agora com essas sugestões, fica fácil preparar um jantar especial e apreciar um
bom vinho!
Tem alguma opção que não citamos aqui? Conta pra gente nos comentários!

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
logo-rodape

Rua Wilhelm Knaesel Senior, 763 – Itoupava Central 
Blumenau / Santa Catarina